WSL: O cancelamento da etapa de Margaret River por ataques de tubarão

WSL: O cancelamento da etapa de Margaret River por ataques de tubarão

Like
141
0
quinta-feira, 03 maio 2018
Surf

Por: Rafael Lardieri, de Santo André

 

A etapa de Margaret River no oeste australiano, último CT da chamada perna Australiana da Liga Mundial de Surfe (WSL) foi cancelada.  O motivo foram os tubarões.  Os surfistas do circuito mundial pressionaram a entidade organizadora pelo fim do evento após duas ocorrências com dois surfistas locais que foram mordidos por tubarões brancos.

O presidente da WSL, Sophie Goldschmidt, emitiu uma nota à imprensa mencionando fatos semelhantes a estes ataques que ocorreram no passado e não foram cancelados. Mas a essa situação específica, o risco era elevado e pela integridade segurança dos competidores, foi decidido a interrupção desta etapa, após reunião com atletas e dirigentes do circuito.

A etapa cancelada que caminhava para a terceira fase contava com oito brasileiros classificados, sendo eles: Gabriel Medina, Italo Ferreira, Filipe Toledo, Adriano de Souza, Yago Dora, Willian Cardoso, Michael Rodrigues e Jesse Mendes. Mas devido a situação, havia o consenso entre os surfistas em não continuar participando. Medina, Ítalo e Julian Wilson se pronunciaram nas redes sociais que não se sentiam à vontade para treinar e competir nas águas de Margaret River.

“Eu não me sinto seguro treinando e competindo nesse tipo de lugar, qualquer hora pode acontecer alguma coisa com um de nós. Espero que não deixando minha opinião antes que seja tarde! “, descreveu Medina em seu Instagram.

 

Autoridades marítimas locais de Margaret River fazem rondas à procura de tubarões. Foto por: WSL/Gumboot.camera

“Dois ataques de tubarão em menos de 24h aqui na Austrália. Detalhe, apenas alguns Km de onde está sendo realizado o evento. Muito perigoso, não acham? Mesmo assim, continuam insistindo em fazer etapas onde o risco de ter esse tipo de acidente é 90%. Aí eu pergunto: a segurança dos atletas não é prioridade? Já tivemos vários alertas. A vida vale mais! Eu não me sinto confortável treinando e competindo em lugares assim! “, completou Ítalo.

Não é a primeira vez que uma etapa do WSL foi cancelada. Em 2015, em Jeffreys Bay, na África do Sul, o australiano Mick Fanning foi atacado por um tubarão branco e o incidente foi transmitido ao vivo. Fanning não sofreu ferimento, entretanto a WSL, pela repercussão negativa se viu obrigada a cancelar a bateria.

 

A WSL ainda não tomou uma decisão se a etapa de Margaret River terá uma etapa de reposição. Mas enquanto não há essa definição, os atletas surfistas estão se dirigindo para a próxima etapa do circuito mundial, que será no Rio de Janeiro em Saquarema, entre os dias 11 a 20 de maio.

 

Foto em destaque: Série ao Fundo/Reprodução/Youtube

Paulo Arnaldo do Amaral Lima

Paulo Arnaldo do Amaral Lima

347 posts | 2 comments

Comments are closed.