Stock Car Brasil: Em Londrina, Fraga dá azar nos boxes e Daniel Serra aproveita

Stock Car Brasil: Em Londrina, Fraga dá azar nos boxes e Daniel Serra aproveita

Like
129
0
domingo, 21 outubro 2018
Automobilismo

 

Por: Danilo Dias, de São Paulo, SP.

 

Parecia um fim de semana definitivo para Felipe Fraga entrar de vez como postulante ao título da Stock em 2018. Vivendo grande fase e com a pole position no bolso, Fraga nadava de braçada rumo à liderança da tabela. Mas o banho de água fria aconteceu quando o piloto da Cimed teve nas duas provas, problemas nas paradas que custaram segundos preciosos na briga pelas vitórias. No fim, em corridas disputadas e com várias alternâncias de posição, Daniel Serra pontuou mais que o adversário e manteve-se na liderança do campeonato ainda abrindo uma diferença de pontos importante.

 

Corrida 1

Felipe Fraga largou bem saindo da pole e ainda teve no início da prova Marquinhos Gomes sendo seu escudeiro na segunda posição, já que seu companheiro em boa largada conseguira ultrapassar Barrichello, que saía de segundo. Daniel Serra por sua vez mantinha-se nas posições próximas do líder, por vezes invertendo as posições com Zonta que vinha na bolo.

Mas o drama de Fraga começou na primeira janela de pit stops. Primeiro, Marcos Gomes não fez a parada ideal e perdeu um pouco de tempo no serviço, o que por si só já não ajudaria muito o então líder Fraga. Porém, o problema maior foi na parada do próprio Fraga. Os mecânicos da Cimed tiveram problemas para afixar a roda traseira direita do carro de Fraga que perdeu muito tempo e voltou apenas na décima posição. Marcos Gomes nessa altura já tinha caído para quinto, escancarando os problemas nos pits da equipe.

Público presente em Londrina. Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car.

A liderança então ficou com Barrichello, que fez boa parada e herdou as posições dos pilotos da Cimed e manteve-se liderando. Júlio Campos fazia boa prova e voava em terceiro, assumindo a segunda posição num vacilo de Zonta, que perdeu a vice-liderança da primeira prova. No fim, Barrichello foi o primeiro com Campos em segundo e Zonta em terceiro. Consistente, Daniel Serra foi o quarto. Max Wilson, Átila Abreu, Thiago Camilo, Marcos Gomes (que ainda perdeu posições no fim da prova), Diego Nunes e Felipe Fraga fecharam o top 10. A prova não era o ideal que Fraga buscava, mas pelo menos garantiu o piloto saindo novamente em primeiro na segunda prova.

 

Corrida 2

Os resultados da primeira corrida proporcionaram uma cópia do que foi a largada da primeira corrida: Fraga na ponta e Gomes de escudeiro, saltando de terceiro para segundo. Novamente, Daniel Serra mantinha-se estável entre os primeiros, visando a manutenção de sua liderança. No mais, a corrida começou tranquila e os pilotos buscavam seus posicionamentos de maneira conservadora.

Os problemas, no entanto, não demoraram para aparecer novamente na vida de Fraga. Marcos Gomes perdeu muito rendimento até abandonar em definitivo a prova e deixar Fraga correndo solitário. O fato permitiu a chegada dos adversários. Átila Abreu vinha forte, seguido de Thiago Camilo e Daniel Serra, que já figurava em quinto. Valdeno Brito apertava o passo e surpreendia depois de largar em último e já figurar em sétimo.

O drama dos boxes novamente bateu à porta de Fraga, que quando parou teve os mesmos problemas da primeira corrida. Cópia geral da primeira prova para o piloto, novamente a porca da roda traseira direita não entrou direito e fez o piloto perder quase cinco segundos a mais que as melhores paradas nos boxes. Átila Abreu aproveitou e assumiu a liderança, reafirmando sua sorte nas provas 2 da Stock dessa temporada. Átila ainda tinha todos os botões de ultrapassagem, economizados durante toda a primeira prova.

No final da corrida a briga pelo campeonato foi transferida para a pista, dando uma graça a mais na movimentada corrida. Fraga que era o segundo não tinha o mesmo desempenho do começo da prova e foi sendo alcançado justamente por Daniel Serra, que mais inteiro naquele momento começou a pressionar o adversário pelo título. Serra apertou e passou Fraga, que com muitas dificuldades mantinha-se tentando algo. Não deu, apesar de todo o esforço. Ricardo Maurício também chegou em Fraga, que tentando manter a prova tocou levemente em Maurício, jogando os dois para fora da pista. A escapada não teve grandes consequências, além da grande ultrapassagem que Ricardinho concluiu sobre Fraga mesmo pelo gramado do circuito.

Ricardo Maurício, após a bela ultrapassagem em Fraga. Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car.

 

Átila Abreu então venceu pela quarta vez uma segunda prova na temporada. Daniel Serra foi o segundo, pontuando muito bem no fim de semana. Ricardo Maurício foi o terceiro, com Fraga em quarto e o argentino Esteban Guerrieri em quinto. Thiago Camilo, Cacá Bueno, Vitor Genz, Gabriel Casagrande e Rubens Barrichello completaram o top 10.

 

Foto: Denis Ribeiro/Stock Car

 

Sequência

Fraga que tinha a chance de se aproximar de vez da disputa pelo título, ficou um pouco para trás em Londrina. Foi bom para Daniel Serra que foi a 270 pontos na liderança do campeonato, abrindo uma margem considerável de 34 pontos para Fraga, que ainda é o segundo da classificação. A etapa porém deu nova vida a Rubens Barrichello, que agora corre por fora com 194 pontos na classificação. Se conquistar um bom resultado no misto de Goiânia (onde já venceu no ano, no anel externo da Corrida do Milhão) e Daniel Serra juntamente com Fraga não obterem bons pontos, a briga embola para dezembro, com 60 pontos em disputa na derradeira corrida de Interlagos.

 

A crucial e penúltima etapa da Stock Car Brasil 2018 em Goiânia acontecerá daqui quinze dias, no dia 4 de novembro. A Rádio Poliesportiva segue com a cobertura completa de uma das temporadas mais disputadas e emocionantes da Stock.

 

Foto em destaque: Duda Barrios/Stock Car.

 

 

Danilo Dias

Danilo Dias

50 posts | 0 comments

Comments are closed.