O tradicional circuito de Nürburgring pode voltar ao circo da Fórmula 1

O tradicional circuito de Nürburgring pode voltar ao circo da Fórmula 1

Like
294
0
quarta-feira, 10 janeiro 2018
Formula 1

De fora da Fórmula 1, mais precisamente desde 2013, devido aos graves problemas financeiros, o tradicional autódromo de Nurburgring poderá retornar ao calendário da Fórmula 1 em 2019. As negociações estão em andamento entre a Liberty e Mirco Markfort, dirigente responsável pelo circuito alemão. 

Markfort tem grande interesse que a Fórmula 1 retorne e a expectativa aumentou após o encontro dele com o Chase Carey no GP de Abu Dhabi: “Realmente gostaríamos de ter a Fórmula 1 de volta a Nurburgring em 2019. Isso só será possível se considerarmos as condições econômicas significativas. Podemos confirmar que houve conversas com a proprietária da Fórmula 1, a Liberty Media” , disse Markfort.

 

Nürburgring Nordschleife

A Alemanha é polo importante do esporte a motor. Isso devido as grandes marcas de montadoras presentes, como Mercedes, Audi e BMW. A tradição de corridas surgiu no início do século passado, num evento conhecido como o “Kaiserpreis”, que reunia várias corridas. Entre 1925 e 1927 Nürburgring foi construído para ser o maior, o mais perigoso e o mais desafiador autódromo do mundo. Nürburgring fica entre as montanhas Eifel e foi construída para as corridas ganharem popularidade em um local seguro à época. O traçado original completo do circuito tinha 28,265km de extensão. À partir de 1951, o anel norte, o Nordschleife tinha 22,835km de extensão (atualmente são 20,832km) e passou a ser utilizado pela Fórmula 1.

Nürburgring tem ainda duas particularidades que o tornam um circuito especial. A fama de ser um circuito extremamente arriscado – a pista da morte, especialmente o Nordschleife, E de ter sido palco de algumas corridas que foram consideradas “a maior corrida de todos os tempos”.

GP da Alemanha de 1974 em Nurburgring. Foto Sutton Imagens

Os brasileiros nunca conquistaram grandes resultados no velho Nürburgring. O melhor resultado de um brasileiro na fórmula 1 em Nürburgring  foi com José Carlos Pace, o 4º lugar, no ano de 1973. Mas se na Fórmula 1, os resultados não são tão expressivo. O dia 30 de abril de 1979 pode ser considerado um dia muito especial para um ex-piloto brasileiro. Foi uma chegada épica na 3ª etapa do campeonato europeu de Fórmula 2.  Simplesmente, uma prova decidida “no photochart”. Alex Dias Ribeiro foi o vitorioso dessa corrida com chegada espetacular. Nessa prova, o piloto brasileiro superou adversários como Keke Rosberg, Eddie Cheever, Ricardo Patrese, Ingo Hoffmann, Marc Surer, Bruno Giacomelli, Derek Daly. Ou seja, pilotos importantes que chegaram a Fórmula 1. Na linha de chegada, Alex Dias superou por apenas 0,1s o finlandês Keke Rosberg, E o 3º colocado da prova chegou a 0,3s de Alex.

A corrida teve 200 km de extensão. Um desafio e tanto no mais difícil circuito do mundo que não perdoa erros, fraquezas e azares. Alex Dias Ribeiro não tinha o melhor dos propulsores, o motor Hart inferior aos poderosos BMW, que equipavam quase todos os carros. Isso sem contar que Alex não tinha patrocínio. A vitória  era improvável.  E só a vitória significava a continuação no certame. Sem ela não haveria continuação.  Uma última curiosidade. No lugar do patrocínio, o carro apresentava a inscrição de “Cristo Salva”. Alex imprimiu a mensagem do milagre.

 

Nürburgring sediou oficialmente 40 GPs de Fórmula 1. O  primeiro GP foi em 1951. E a última disputa na Fórmula 1 por lá foi em 2013.

 

Foto: Red Bull Content Pool

 

Redatores: Luiz Máximo e Paulo Arnaldo / Rádio Poliesportiva

Luiz Máximo Moreno Morelo

Luiz Máximo Moreno Morelo

226 posts | 0 comments

Comments are closed.