NBB 11 vem aí! Conheça as equipes paulistas

NBB 11 vem aí! Conheça as equipes paulistas

Like
59
0
sexta-feira, 12 outubro 2018
Basquete

 

Por: Danilo Dias, de São Paulo, SP.

 

A 11ª edição do NBB vem aí e a equipe da Poliesportiva vai apresentar para você todas as equipes da competição que é organizada pela LNB (Liga Nacional de Basquete), com a chancela da Confederação Brasileira de Basketball, e conta com 14 equipes. Os seis primeiros colocados garantem vaga para os torneios internacionais, como a Liga das Américas (1º a 3º), e a Liga Sul-Americana de Basquete (4º a 6º).

Para esta edição, o Corinthians está de volta após 16 anos de inatividade (de forma independente) e foi campeão da Liga Ouro 2018 (2ª divisão nacional), garantindo vaga na elite do basquete. Assim como o Timão, o São José, vice-campeão, também volta ao NBB depois de três temporadas. Outro grande destaque foi a mudança de sede do time Universo, saindo de Salvador e indo para Brasília, encerrando a parceria com o EC Vitória. As equipes da Liga Sorocabana e do Campo Mourão foram rebaixadas para a Liga Ouro 2018-19 por terem feito as piores campanhas no NBB 10. O Caxias do Sul (5º em 2017-18), também não participará por dificuldades financeiras. A competição começará no dia 13 de outubro de 2018.

 

Entrevistas em podcast

A equipe da Poliesportiva conversou com os técnicos de Paulistano, Mogi e Pinheiros sobre os seus respectivos elencos e  o que esperam da temporada 11 do NBB. Ouça e confira abaixo.

 

– Técnico Regis Marrelli do Paulistano:

Reportagem: Paulo Arnaldo

 

– Técnico César Guidetti do Pinheiros:

Reportagem: Ivan Marconato

 

– Técnico Guerrinha do Mogi:

Reportagem: Eric Filardi

 

 

Regulamento

O campeonato é disputado no formato de pontos corridos, onde os 12 melhores colocados na fase de classificação avançarão à fase de playoffs, que seguirá a partir da disputada das oitavas de final, sempre em uma melhor de cinco jogos. Os confrontos de mata-mata serão disputados com os jogos 2, 3 e 5 sendo realizados na casa da equipe de melhor campanha na fase de pontos corridos. A pior equipe na fase de classificação será rebaixada à Liga Ouro de 2020.

 

 

Equipes paulistas NBB 11

 

Bauru

A Associação Bauru Basketball Team foi fundada em 1994 e desde lá coleciona grandes momentos no basquete do Brasil. O time, que já teve outras denominações na cidade, conquistou, já no começo de sua empreitada, o título do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de Basquete, em 1996. Três anos depois, foi o momento de conquistar a elite do Campeonato Paulista. A partir daí, muito mais veio.

Foi campeão nacional em 2002 e vive um momento ótimo em sua história na década atual, tendo conquistado por duas vezes o Paulista, uma vez a NBB, além da Liga das Américas e da Liga Sul-Americana em 2014 e 2015, respectivamente. No NBB do ano passado foi o quarto melhor esquadrão caindo diante do Paulistano. Para a próxima temporada os bauruenses acertaram vários reforços, entre eles o argentino Enzo Ruiz, a volta de Larry Taylor e a manutenção de Alex, um dos principais jogadores da equipe.

 

Franca

O Franca Basquetebol Clube foi fundado na década de 50 e desde então representa a cidade nos certames de basquete. Desde 1962 era um dos maiores times de basquete do interior paulista com várias conquistas. Em 1971, se consagrou como um dos “bichos papões” do basquete paulista e nacional, se sagrando campeão nacional. Foram 12 conquistas do Paulista até então e mais 12 títulos do interior. Ainda foram mais 11 Campeonatos Brasileiros e 10 títulos continentais, sendo uma das maiores equipes da América Latina.

Contudo, o time ainda persegue o NBB. No Novo Basquete Brasil, o Franca ainda procura o seu rumo. No ano passado o Franca sucumbiu diante do Bauru nas quartas de final da competição. O Franca se reforçou para a temporada que se avizinha e trouxe, além de outros nomes, Rafael Hettsheimeir, jogador de Seleção Brasileira, o americano Jackson, que estava no Vasco, além dos destaques do Paulistano, Elinho e Lucas Dias. O time já deu frutos ao ser Campeão do Campeonato Paulista 2018, vencendo o Paulistano na final.

 

Mogi das Cruzes

Finalista da decisão paulista do NBB da temporada passada, o Mogi das Cruzes foi fundado em 1995. Já no ano seguinte o time faturou o título do Campeonato Paulista, mas demorou a voltar às glórias. O começo meteórico não foi correspondente aos anos seguintes e só em 2012 voltou a ser campeão, na ocasião, levando o título da Supercopa Brasil. Em 2016, o Mogi viveu uma das suas maiores temporadas sendo campeão paulista, novamente, além de vencer a Liga Sul-Americana, entrando no hall dos campeões continentais. O Mogi trouxe grandes nomes para a temporada que vem. No Flamengo buscou Pecos e Batista, além de manter o americano Shamell e trazer também o armador argentino Enzo Cafferatta. O lado negativo foram as saídas de Larry Taylor e Tyrone.

 

São José

O pentacampeão paulista, São José, é um celeiro tradicional do basquete nacional. Fundado na década de 40, é um dos mais antigos times de basquete em atividade no Brasil e já conquistou o Campeonato Brasileiro de 1981. Foi também duas vezes campeão do interior e já foi vice no Sul-Americano de basquete. Na temporada passada a equipe garantiu o direito de estar na elite brasileira do basquete ao ser o vice-campeã da Liga Ouro. O time do Vale acertou com Que Johnson para a temporada que vai começar, além de manter Hélio e Panunzio, do time base da temporada passada, e acertar com Guilherme Schneider e o argentino Fabián Sahdi para reforçar o elenco.

 

Corinthians

Uma das mais tradicionais e aclamadas agremiações esportivas do Brasil terá seu representante no NBB que vai começar. O Corinthians foi o campeão da última Liga Ouro e trás consigo o peso do seu departamento de basquete iniciado ainda na década de 20. Venceu por 17 vezes o Campeonato Municipal, 12 vezes o Estadual e quatro vezes o nacional. O time ainda carrega na história um dos maiores de todos os tempos, Oscar Schmidt. Na década de 60, o Timão ainda venceu por duas vezes o Sul-Americano, sendo portanto uma das equipes de mais história do basquete nacional. Os reforços vieram e os mais sonantes são Giovannoni, Teichmann e o campeão do último NBB, Kyle “Zoom” Fuller. Ainda trouxe Fischer e manteve Abner, destaque da Liga Ouro.

 

Paulistano

O tradicionalíssimo e quase centenário Paulistano vive a melhor fase de sua história. Desafiou prognósticos, montou um time redondo e venceu os inéditos títulos Paulista e do NBB. Durante muito tempo no amadorismo, a equipe dos Jardins voltou ao profissionalismo depois de um tempo e agora colhe os louros de sua melhor fase da história. Porém, o sucesso pode trazer desafios. O time perdeu vários bons nomes após a conquista, mas conseguiu trazer bons reforços, entre os Renan, ex-Pinheiros e Bauru, Evan Roquemore, além de trazer de volta Georginho de Paula e renovar com Victão e a jovem promessa Yago. Outra grande contratação que vem dando muito certo foi Léo Meindl, destaque da última temporada com o Franca. Mesmo diante do desmonte da equipe, foram os primeiros colocados do Campeonato Paulista 2018 e chegaram a final, perdendo para o Franca.

View this post on Instagram

❣❣❣#FamiliaPaulistano

A post shared by Paulistano Basquete (@paulistano.basquete) on

 

Pinheiros

Com quase 120 de história, o Pinheiros segue como um dos mais memoráveis centros esportivos do Brasil. O departamento de basquete, sempre tradicional é dono de conquistas invejáveis. O antigo Germânia é campeão paulista, da Supercopa do Brasil e da Liga das Américas em 2013. Na temporada passada, caiu de produção em relação aos torneios anteriores, ficando numa modesta nona posição caindo diante do Basquete Cearense ainda nas classificatórias. O time se renovou bastante mas manteve Corderro Bennett, um dos destaques das últimas temporadas. Trouxe ainda Kenny Dawkins para lhe fazer companhia.

 

 

Foto em destaque: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

 

Eric Filardi

Eric Filardi

46 posts | 0 comments

Comments are closed.