Maccabi Tel Aviv – O carrasco da NBA

Maccabi Tel Aviv – O carrasco da NBA

Like
286
1
quinta-feira, 30 novembro 2017
Basquete

Em um mundo do basquetebol totalmente diferente do que é hoje, onde a modalidade praticada na National Basketball Association, a NBA, praticamente não se misturava com o resto do mundo, tendo quase zero de intercâmbio e praticamente sem estrangeiros na liga norte-americana, os jogos entre esses dois estilos de um dos esportes mais populares do mundo eram raros.

Porém, apesar de praticamente não haver este enfrentamento, o que se dizia era que a NBA tinha o melhor basquetebol do planeta, pois era o esporte mais popular e praticado profissionalmente na maior potência econômica mundial, contra o amadorismo (meio falso, diga-se de passagem) que predominava nos outros lugares da Terra.

A partir de 1978, jogos entre times da NBA e de clubes que disputavam os campeonatos de basquetebol regidos pela Federação Internacional de Basquetenol, a Fiba, começaram a acontecer, mesmo que timidamente. Apesar da boa vantagem dos norte-americanos, naquele início existiu um carrasco: o Maccabi Tel Aviv, que venceu o primeiro confronto da história entre esses dois mundos e foi a primeira equipe estrangeira a vencer uma equipe da NBA que jogava em seus domínios.

Miki Berkowitz, o ‘Rei de Israel’

Em 8 de setembro de 1978, o Maccabi Teal Aviv enfrentaria um time da NBA. Foi um confronto histórico! Pela primeira vez na história, um time profissional norte-americano iria jogar no exterior. O Washington Bullets, então campeão da liga, foi até Israel e, apesar de querer mostrar talento, os norte-americanos tomaram um susto com a equipe da casa impondo um ritmo forte. O primeiro tempo terminou 54 a 45 para os donos da casa.

No início do segundo tempo, o Maccabi ainda ampliou a diferença, mas o Washington Bullets passou a imprimir um ritmo infernal e foi tirando a diferença. No fim, prevaleceu a força da torcida e os tiros de três de Mirki Berkowitz, conhecido como o Rei de Israel, que garantiram a vitória do Maccabi Tel Aviv por 98 a 97. A NBA era derrotada em sua primeira experiência fora dos Estados Unidos.

Em setembro de 1980, a NBA resolveu mandar um combinado de atletas para uma nova excursão ao exterior e o Maccabi Tel Aviv estava nos rivais. Porém, a situação era diferente: os israelenses estavam sem seus dois pivôs e Mirki Berkowitz, voltando de contusão, não aguentaria atuar uma partida inteira. Então, para não haver um massacre, fizeram um acordo onde Julius Irving, talvez o grande nome do time da NBA ali, jogaria um tempo por casa equipe. O resultado: Maccabi Tel Aviv 114 a 112 nos profissionais.

Julius Erving atuou um tempo pelo Maccabi em 1980

Em agosto de 1984, times da NBA foram fazer uma série de amistosos pela Europa e houve um quadrangular em Tel Aviv, contando com os dois times da cidade (Hapoel e o Maccabi) e New Jersey Nets e Phoenix Suns. O Hapoel foi derrotado nos jogos contra os dois times profissionais, mas o Maccabi não. 104 a 97 no New Jersey Nets e incríveis 113 a 98 no Phoenix Suns. Até ali, o Maccabi Tel Aviv tinha a marca de quatro jogos e nenhuma derrota para times da NBA.

Até o fim dos anos 80, aconteceram diversos outros confrontos entre times NBA e Fiba e o retrospecto era totalmente favorável aos norte-americanos, principalmente depois que a liga definiu que só iria fazer estes confrontos jogando com as regras deles. Porém vale um registro: os times internacionais tinham cinco vitórias nestes jogos, sendo quatro do Maccabi Tel Aviv e uma da Seleção da União Soviética, contra o Atlanta Hawks, em 30 e julho de 1988.

Ainda em 1988, mais precisamente em 9 de outubro, o Maccabi Tel Aviv enfrentou o Philadelphia 76ers, nos Estados Unidos, e perdeu 108 a 107, a primeira derrota deles para os profissionais. Três dias depois, novo revés, desta vez para o Miami Heat: 101 a 95. Os jogos entre esses dois mundos continuaram a acontecer na década de 90, onde a NBA venceu todas as partidas, sendo quatro delas contra os israelenses.

Anthony Parker foi o destaque do Maccabi contra os Raptors

As partidas entre NBA e Fiba passaram a ser comuns a partir do novo milênio. A liga viu um grande mercado a ser explorado, passou a ter mais estrangeiros atuando em seu campeonato e o intercâmbio aumentou vertiginosamente. Porém, até o dia 16 de outubro de 2005, nenhuma equipe estrangeira havia vencido um jogo contra equipes da NBA como visitante. E quem quebrou este tabu, para variar, foi o Maccabi Tel Aviv.

Tudo bem que a fama de carrasco já não era mais a mesma. Os israelenses já haviam perdido seis jogos no retrospecto, contra as mesmas quatro vitórias atingidas entre as décadas de 70 e 80. Mas os torcedores do Toronto Raptors que estavam presentes no Air Canada Centre viram renascer o carrasco da NBA.

Com uma atuação antológica do norte-americano, e ex-NBA, Anthony Parker, que fez 24 pontos no jogo e do ala-pivô croata Nikola Vujcic, que também fez grande jogo, tendo feito 21 pontos e pego 10 rebotes para o Maccabi, o time de Isarael conseguiu travar as ações do Raptors, que ainda teve Chris Bosh fazendo 27 pontos, e com uma cesta de Parker a menos de um segundo do fim, o Maccabi Tel Aviv fez 105 a 103, cravando a primeira derrota de um time da NBA para um time Fiba em casa.

O atual retrospecto do Maccabi Tel Aviv contra times da NBA é interessante. Foram 21 jogos, sendo cinco vitórias e 16 derrotas. É a equipe do mundo Fiba que mais enfrentou e venceu times profissionais norte-americanos na história. O Barcelona, por exemplo, tem um retrospecto, na média, até melhor que os israelenses (três vitórias em sete jogos). Porém, muito pelo seu início avassalador, quando o enfrentamento entre esses dois tipos de basquete era raro e os norte-americanos se gabavam em ser os melhores na modalidade com poucos jogos entre eles, o Maccabi é até hoje considerado o carrasco da NBA.

 

Foto em destaque: Ron Turenne – Getty Images

 

Redator: Victor de Andrade, de Cubatão.

Victor de Andrade

Victor de Andrade

4 posts | 0 comments