Com a “máfia”, Paulistano é campeão do NBB 10

Com a “máfia”, Paulistano é campeão do NBB 10

Like
64
0
domingo, 03 junho 2018
Basquete

Por: Eric Filardi, do ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes, SP.

Nada de jogo 5! O Paulistano não deu sopa para o azar e bateu o Mogi da Cruzes fora de casa, no ginásio Hugo Ramos, em Mogi da Cruzes, ontem (02/06), às 14h, e sagrou-se, pela primeira vez em sua história, campeão do NBB 10, fechando a série em 3 x 1. A partida teve todos os três mil ingressos colocados à venda, vendidos. A torcida do Mogi compareceu em peso! Com menos espaço, mas também presente, estava a torcida do time da capital paulista. Um duelo belíssimo! Ambas as torcidas gritando o tempo todo, empurrando seus times à vitória.

Nenhum jogador do Paulistano tinha o título do NBB CAIXA por outra equipe e sete deles fizeram parte da campanha do vice-campeonato na temporada passada. Yago Mateus, campeão e cestinha do Paulistano na partida, falou sobre a superação, união e o apelido interno da equipe.

1º quarto

O primeiro quarto começou de forma avassaladora por parte do Mogi das Cruzes que chegou a abrir 10 x 0, com cinco pontos de Shamell, levando a torcida mogiana ao delírio. Depois desse início eletrizante o Mogi parou e os visitantes começaram a encostar. O time da capital paulista chegou a passar a frente, fazendo 23 x 21, com Guilherme Hubner e Yago chutando para 10 e acertando nove e sete, respectivamente. Mas o quarto inicial era de Shamell, com 12 pontos em 17 tentados, decretando o empate parcial ao final da primeira etapa.

 

NBB 10 – Final – Jogo 4 – Mogi x Paulistano – Ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes. Foto: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

2º quarto

O Paulistano conseguiu abrir a diferença no segundo quarto. Mal no primeiro quarto, Lucas Dias ouviu uma baita bronca do técnico Gustavo de Conti e melhorou, marcando sete vezes. Deryk Ramos saiu do banco e começou a fazer a diferença também, marcando mais sete pontos para os visitantes e ainda dando cinco assistências, tendo 11 de eficiência. Porém, por mais que o time alvirubro tenha aberto uma diferença de seis pontos, individualmente foi um atleta do Mogi quem se destacou: Jimmy. Marcando 10 pontos em 15 tentados e, no final do jogo, ainda foi o cestinha da partida com 28 pontos, nove rebotes e 30 de eficiência. Após o final da partida e o vice-campeonato, o ala lamentou alguns apagões do time e afirmou que foi o último quarto quem definiu a partida.

 

3º quarto

No segundo tempo o ritmo caiu drasticamente. Foram dois minutos sem pontos, como muito erros dos dois times, talvez pelo forte início dos dois primeiros quartos. Mesmo com o baixo número de pontos, 13 x 11 para o Paulistano, Yago chamou a responsabilidade, fez nove pontos, em três boas de três, pegou dois rebotes e ainda totalizou 10 de eficiência. Lucas Dias foi o único outro jogador do time paulistano a pontuar, com quatro. Oito bolas de três tentadas pelo time mogiano e apenas uma convertida, por Larry Taylor, que marcou mais dois pontos em lance livre. Nas bolas de dois foram sete erros. O armador do Mogi também falou com a Poliesportiva após o final da partida e o vice-campeonato.

 

 

NBB 10 – Final – Jogo 4 – Mogi x Paulistano – Ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes. Foto: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

4º quarto

No último quarto o jogo ficou mais tenso. A equipe da casa buscava a todo custo diminuir a vantagem construída pelo time da capital, que pontuava menos, mas conseguia manter a distância. Lucas Dias foi o destaque do Paulistano, anotando nove pontos e ainda dando dois tocos, totalizando 13 de eficiência. Mas, novamente, de forma individual, os jogadores do Mogi se sobressaiam. Larry Taylor com seis pontos em 19 tentados, com três rebotes e um toco, e Jimmy, com nove pontos em 17 tentados, além de dois rebotes e uma assistência. Shamell errava muito, mas duas bolas sempre tinham salvação, ou com Jimmy ou com uma falta, totalizando apenas um ponto em 14 tentados, negativando em dois de eficiência. Tais erros culminaram na derrota do time mogiano. O técnico Guerrinha não quis falar com a Poliesportiva devido a frustração e foi respeitado. Mas, por questões contratuais, teve de falar com o NBB e relatou o sentimento após a derrota diante de sua torcida:

 

NBB 10 – Final – Jogo 4 – Mogi x Paulistano – Ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes. Foto: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

 

“Estamos muito frustrados por termos perdido em casa, mas muito honrados por conseguirmos chegar ao segundo lugar do NBB, que é muito difícil. O Paulistano teve todo o mérito de sair com o título. Foi a terceira vez que eles chegaram à final e essa foi a nossa primeira. Queríamos o topo, claro, mas infelizmente não conseguimos. Nunca faltou entrega e nem dedicação para a nossa equipe. Saímos orgulhosos”, afirmou o treinador.

FIM DE JOGO

O final do jogo teve uma explosão de emoção dos jogadores do Paulistano, que foram vice-campeões no ano passado, perdendo a final para o Bauru. No final de 2017, foram campeões paulista de forma inédita também, com Fuller sendo o MVP do campeonato. O MVP do NBB 10 ainda não foi revelado, mas o MVP das finais sim, e foi Guilherme Hubner, com um primeiro jogo sem muito brilho, mas com grandes atuações nos três jogos seguintes, totalizando médias de 11,7 pontos e 6,2 rebotes e, além do troféu, também levou a medalha de campeão brasileiro e falou com a Poliesportiva sobre a felicidade de vencer o campeonato, ser o melhor jogador das finais e uma possível convocação para a Seleção Brasileira.

 

NBB 10 – Final – Jogo 4 – Mogi x Paulistano – Ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes. Foto: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

 

Paulistano quebrou um recorde de 22 anos sem títulos de um clube da capital paulista. O último foi o Corinthians/Amway, de Oscar Schmidt, em 1996. Com três jogadores na Seleção Brasileira, o Paulistano pode perder o técnico Gustavinho para a Seleção também, pois vem sendo especulado. O comandante do título falou com a Poliesportiva sobre a felicidade de ser campeão e alertou sobre o crescimento dos atletas durante a competição.

 

 

 

NBB 10 – Final – Jogo 4 – Mogi x Paulistano – Ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes. Foto: Equipe Poliesportiva

 

 

Conhecido pelo ótimo trabalho nas categorias de base, foram os jovens do Paulistano quem decidiram no jogo 4 da final do NBB 10. Além de Yago, com 21 pontos, sendo o cestinha da equipe, Lucas Dias foi outro a ir muito bem, surpreendendo após início ruim, com 20 pontos, combinando ambos em 41 pontos, mostrando a união da equipe. O ala falou com o repórter da Poli após o título.

 

NBB 10 – Final – Jogo 4 – Mogi x Paulistano – Ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes. Foto: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

 

 

Fechando os campeões que falaram com a Rádio Poliesportiva, o capitão Jhonatan, que se emocionou ao falar do apoio da torcida e do apoio da família para vencer o título e entrar para a história do Paulistano.

 

NBB 10 – Final – Jogo 4 – Mogi x Paulistano – Ginásio Hugo Ramos, Mogi das Cruzes. Foto: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

 

 

Foto em destaque: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

Eric Filardi

Eric Filardi

38 posts | 0 comments

Comments are closed.